Comoção, lágrimas, flores e muitas homenagens. O corpo do ex senador e senador José Maranhão, foi enterrado na manhã desta quarta-feira (10), em Araruna, no Cariri paraibano e terra natal do político. Araruna parou para dá o último adeus a José Maranhão.

Em meio a comoção, o corpo de Maranhão foi levado para a cidade na noite desta terça-feira (9) e foi velado na Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição. Às 9h, desta quarta, aconteceu uma missa de corpo presente na igreja. Depois, o corpo foi sepultado no Cemitério Municipal, onde foram enterrados os pais de Maranhão.

A chegada do corpo do senador José Maranhão à Paraíba foi emocionante e marcada por homenagens e honra militares. O corpo chegou no Aeroporto Internacional Presidente Castro Pinto, em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB), por volta das 15h desta terça-feira (9). e foi recebido pelo governador do estado, João Azevêdo (Cidadania), pelo Arcebispo da Paraíba, Dom Manoel Delson, pelo prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena (PP), além de autoridades legislativas, judiciárias e do Ministério Público.

Ao som da marcha fúnebre, o corpo foi recebido com aplausos. Ainda no aeroporto, houve uma homenagem para José Maranhão. Em seguida, o corpo dele saiu em cortejo pela BR-230, em um carro do Corpo de Bombeiros, até o Palácio da Redenção, No caminho, muitos paraibanos pararam e silenciosamente prestaram a última homenagem ao homem que ficou conhecido como “o mestre de obras”.

O corpo de José Maranhão foi velado no Palácio da Redenção. A emoção estava estampada nos rosto de cada pessoa. Políticos, amigos, fãs, deram o último adeus ao senador. Diversas coroa de flores foram depositadas no Salão Nobre do Palácio ao lado do caixão. Apesar das recomendações devido a pandemia, aglomerações foram formadas por muitas pessoas que foram dá o último adeus ao Senador.

Depois, o cortejo seguiu até a casa onde José Maranhão morava, no bairro do Altiplano, onde foi feito um minuto de silêncio e outras homenagens.

Após homenagens, o corpo seguiu  para o município de Araruna, onde foi velado, e sepultado nesta quarta-feira. Durante o velório, a viúva do senador, a desembargadora Fátima Bezerra, fez um depoimento emocionante das últimas horas do senador, e como ela se despediu do político. Poesia, palavras de conforto e mensagem de fé e esperança marcaram as últimas horas de Maranhão, conforme emocionada revelou Fátima Bezerra.

Maranhão era o senador mais velho da atual legislatura e estava internado desde 29 de novembro de 2020, dia de segundo turno nas eleições municipais, quando passou mal pouco depois de votar no candidato que ele apoiava. Ele morreu na noite da segunda-feira (8) às 87 anos, no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, por complicações da Covid-19.

Fonte: Severino Lopes
PB Agora