O cenário de crise na capital do Amazonas, Manaus, no Norte do País, por conta da falta de oxigênio nas unidades de saúde chamou a atenção de todos os brasileiros, o que também se faz necessário saber como estão os demais estados. Na Paraíba, o secretário de Estado da Saúde (SES-PB), Geraldo Medeiros, disse ao ClickPB, nesta terça-feira (19), que já solicitou o levantamento do estoque de oxigênio à empresa que fornece o gás para o Estado. 

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, a Paraíba, apesar dos inúmeros casos, não atingiu a sua ocupação máxima dos leitos. No último boletim divulgado (ontem), a ocupação total de leitos de UTI (adulto, pediátrico e obstétrico) em todo o estado era de 56%. Na Região Metropolitana de João Pessoa, a taxa de ocupação era de 55% das UTIs Adulto. Enquanto em Campina Grande, 65% e no Sertão 72%. 

De acordo com o secretário, a quantidade de oxigênio está dentro do esperado, mas informou que "já solicitamos a White Martins", um levantamento do estoque. Essa empresa é responsável pelo abastecimento dos hospitais do Estado. Em uma das empresas que fornece oxigênio, foi repassado a reportagem do ClickPB que a distribuição estava de acordo com o previsto. Por semana, essa empresa repassa mil metros. O gás pode ser na forma líquida ou em cilindros. 

Fornecedora

Ao ClickPB, a 'White Martins' - uma das maiores fornecedoras de oxigênio para a rede hospitalar - informou que "o abastecimento de seus clientes no mercado de saúde segue dentro da normalidade e que a situação sanitária vivida em Manaus nos últimos dias não se reflete em outras regiões do Brasil. Além do estado de calamidade pública enfrentado na região, o cenário logístico no Amazonas é extremamente desafiador por não contar com acesso terrestre e demandar movimentação de carga por transporte fluvial e aéreo".

Ainda de acordo com a White Martins, a empresa tem grande logística para distribuição. "A empresa dispõe de uma robusta capilaridade logística integrada que garante a confiabilidade no abastecimento. Suas mais de 80 plantas e centros de distribuição estão localizados em áreas estratégicas com alta mobilidade por ter acesso à infraestrutura rodoviária que possibilita o deslocamento eficiente de produto até os clientes. A White Martins seguirá cumprindo seu papel social e está somando todos os esforços para salvar vidas e abastecer o mercado de saúde."

Fonte: Click PB