A queda de um avião de pequeno porte, logo após a decolagem, na manhã deste domingo (24), causou a morte de quatro jogadores e do presidente do Palmas-TO, além do piloto. A aeronave foi tomada pelas chamas, após a queda em um piista de pouso particular no distrito de Luzimangues (TO), a cerca de oito quilômetros da capital Palmas. Morreram o presidente do clube, Lucas Meira, de 32 anos;  os jogadores Lucas Praxedes (23 anos), Guilherme Noé (28), Ranule (27), e Marcus Molinari (23), além do piloto da aeronave, Wagner Machado.

O time da Série D do Campeonato Brasileiro viajaria nesta manhã para Goiânia, onde jogaria nesta segunda-feira (25) com o Vila Nova, em partida das oitavas de final da Copa Verde. A partida foi suspensa pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).Em nota de pesar  a entidade disse estar "profundamente consternada", se solidarizou com as famílias das vítimas, e decretou que seja respeitado um minuto de silêncio em todos os jogos deste domingo no país.

A tragédia causou comoção e inúmeras homenagens foram publicadas nas redes sociais. O Vila Nova, que enfrentaria o Palmas amanhã, foi um dos primeiros a postar mensagem de pesar.

A Chapecoense, vítima há menos de cinco anos de um trágico acidente aéreo que matou 19 de um total de 22 jogadores, também recorreu ao Twitter para expressar luto. Em novembro de 2016 o time estava em um voo para Colômbia, onde enfrentaria o Atlético Nacional pela Copa Sul-Americana. Parte dos 77 ocupantes eram jornalistas. Apenas seis pessoas sobrevieram à queda da aeronave (os jogadores Follmann, Neto e Alan Ruschel ,dois tripulantes e o jornalista Rafael Henzel).

Grandes clubes brasileiros também publicaram mensagens de pesar e de solidariedade aos familiares das vítimas.