Faleceu na manhã desta segunda-feira (12), na cidade de Esperança, o ex-deputado federal e médico Armando Abílio, 76 anos, vítima de um infarto. Atualmente, ele atuava como médico e radialista na cidade de Esperança, localizada no Agreste da Paraíba.

Ex-presidente do PTB na Paraíba, Abílio foi prefeito de Esperança, deputado estadual e federal e secretário de estado no governo de Cássio Cunha Lima, assumindo a Secretaria do Trabalho e Ação Social, hoje Desenvolvimento Social.

Armando Abílio Vieira era casado com Rosimere Bronzeado Vieira, vice-prefeita da cidade de Esperança, Paraíba, com quem teve cinco filhos.

Armando Abílio ingressou em 1962 na Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Federal de Pernambuco, pela qual se graduou em 1968. Durante o ano seguinte, frequentou a residência médica no Hospital Osvaldo Cruz, também na cidade de Recife.

Filiando-se, em 1982, ao Partido Democrático Social (PDS), foi escolhido para integrar a chapa do partido como candidato a vice-prefeito de Esperança (PB). Ainda em 1982 fora nomeado diretor do Hospital Geral da cidade, função que desempenharia até 1991. Elegendo-se no pleito de novembro de 1982, foi empossado no cargo em janeiro de 1983. Desligando-se do PDS em 1988, permaneceu como vice-prefeito até janeiro do ano seguinte. Em 1989, filiou-se ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), no qual permaneceu até 1990.

Em seguida, no Partido da Frente Liberal (PFL), em outubro daquele ano elegeu-se deputado estadual nessa legenda. Assumindo sua cadeira na Assembleia Legislativa paraibana em janeiro de 1991, foi escolhido segundo vice-presidente da mesa da casa, ocupando essa função até 1992. Em 1993, retornou ao PMDB, tornando-se ainda neste ano primeiro vice-presidente da mesa, cargo que desempenharia até o final da legislatura.

Candidato a deputado federal pelo PTB (PB) no pleito eleitoral de 2010, Armando Abílio não conseguiu se reeleger. Contudo, assumiu, por poucos meses, como suplente do deputado federal Aguinaldo Ribeiro, do Partido Progressista (PP), nomeado para o cargo de ministro das Cidades. Durante a 54ª legislatura, participou como titular da Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia (Cindra), em 2012.

Foi autor da indicação (INC) nº 3252/2012, que sugeria ao Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, que fossem adotados critérios mais abrangentes no processo de divulgação dos beneficiários do programa Bolsa Família.

Deixou a Câmara e retornou à condição de suplente em novembro de 2012. Desde então afastado da atividade política, comandava um programa de rádio local no município de Esperança.

Fonte: Paraiba Online