A Secretaria de Estado da Saúde da Paraíba (SES) confirmou nesta segunda-feira (14) a primeira morte causada pela Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P). A doença afeta crianças e adolescentes, pode estar associada à Covid-19 e tem possibilidade de levar à morte.
Entre os casos notificados na Paraíba, seis estão em João Pessoa, sendo um confirmado, dois descartados e três em investigação. Em Cruz do Espírito Santo, na região metropolitana, o único caso confirmado evoluiu para óbito.

Conforme a SES, há casos confirmados ainda em Sapé (1), Mamanguape (1), Santa Rita (1), Mari (1) e Baía da Traição (1). Um caso foi descartado no município de Itabaiana.

SIM-P

Em comunicado publicado pela Sociedade Brasileira de Pediatria, a entidade diz que desde abril foram relatados casos de uma síndrome rara grave em crianças e adolescentes, temporalmente associada à Covid-19, inicialmente na Europa e América do Norte e mais recentemente em vários países da América Latina.
As crianças e adolescentes que manifestam a SIM-P são habitualmente saudáveis, mas podem apresentar alguma doença crônica preexistente, particularmente doenças imunossupressoras.
Entre os sintomas mais comuns dessa síndrome estão febre elevada e persistente, acompanhada de pressão baixa, conjuntivite, manchas no corpo, diarreia, dor abdominal, náuseas, vômitos e comprometimento respiratório, associado a marcadores de inflamação elevados e evidência de Covid-19.

Notificação

A SES divulgou, no dia 10 de agosto, uma Nota Técnica alertando profissionais de saúde e secretarias municipais de saúde sobre a ocorrência e notificação imediata obrigatória da SIM-P, que é essencial para que se possa caracterizar o perfil da doença no país “em pessoa, tempo e lugar”, afirma o documento.
A notificação deve ser feita, por meio de formulário de notificação do SUS disponível neste link, e enviadas demais informações necessárias ao e-mail simpcovid.pb@gmail.com. As notificações devem ser realizadas em 24h e a amostra laboratorial encaminhada ao Lacen-PB.
Questionada sobre o que a população deve fazer caso haja manifestação dos sintomas, a SES, por meio de sua assessoria de imprensa, informou que a doença pode se manifestar em pacientes graves, que nesta ocasião já estarão hospitalizados. Mas, caso algum sintoma característico seja demonstrado, o Hospital Arlinda Marques e o Hospital Municipal do Valentina, ambos na Capital, são instituições de referência para o atendimento dos pacientes com suspeita da síndrome.


Fonte: portalcorreio