Apenas 258 mil viagens nacionais realizadas em 2019 tiveram o estado da Paraíba como origem, segundo dados divulgados nesta quarta-feira (12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O número representa 1,3% do total nacional. O módulo de turismo da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD C) apontou que nenhum morador de 84% dos lares paraibanos fez alguma viagem no ano passado. 
De acordo com o IBGE, a Paraíba possui 1,11 milhões de domicílios. O principal motivo para que a maioria das pessoas não tenha viajado foi a falta de dinheiro (55,7%). As outras justificativas apresentadas foram: falta necessidade (17,8%), falta de tempo (9,5%) e falta de interesse (6,9%).
A estimativa do turismo praticado por paraibanos só foi menor do que as registradas em Alagoas (88,6%), Amapá (85,3%), Pernambuco (84,7%) e Rio de Janeiro (84,2%). O cálculo também considera os deslocamentos entre municípios de um mesmo estado.
O desempenho da Paraíba como destino turístico também foi fraco em 2019. O estado foi o principal destino de 323 mil viagens realizadas no Brasil, o que representa cerca de 1,6% do total de deslocamentos nacionais. Entre os estados do Nordeste, a Paraíba teve a 3ª menor participação no cenário nacional, maior apenas do que as verificadas em Alagoas (1,3%) e Sergipe (1,5%). Das viagens feitas à Paraíba, 283 mil ocorreram por motivos pessoais. 

Perfil dos viajantes

Em contrapartida, em 16% dos domicílios paraibanos alguém viajou no ano passado. Entre as viagens realizadas por moradores da Paraíba, em cerca de 224 mil (86,9% do total) o motivo para deslocamento era pessoal e, em cerca de 33,5 mil (13,1% do total), profissional. O número de viagens por questões profissionais foi maior que a média regional, que gira em torno de 11,6% do total, mas levemente abaixo da do país, 13,5%.
No caso das viagens que ocorreram por motivo pessoal, a principal razão para isso, apontada nos domicílios paraibanos, foi visita a parentes ou amigos (37,6%), seguida pela opção de lazer (33,3%) e tratamento de saúde e bem-estar (20,8%). As mesmas tendências foram constatadas na média nacional. 
Em relação àquelas que ocorreram por lazer, 50,5% das situações tiveram como principal atrativo a busca por sol e praia; em 30,2% esse fator foi a cultura; e em 12,1% foi a natureza, ecoturismo ou aventura. Em 7,2% das viagens o tipo de lazer procurado foi outro, não especificado pelos resultados da pesquisa. 
Ainda de acordo com a PNAD C, o principal local de hospedagem, escolhido por 54,8% das pessoas que partiram da Paraíba em 2019 foi a casa de amigo ou parente. Em segundo lugar, com 23,1% está a categoria “outro”, que inclui resorts, imóveis alugados por temporada ou via Airbnb, albergue, hostel ou camping. Cerca de 14,9% optaram por hotel ou flat; 5,2% por pousada; e 2,1% ficaram em imóvel próprio.
Já os meios de transporte mais comuns entre os viajantes que partiram da Paraíba foram o carro, particular ou de empresa (51,9%); o ônibus de linha (13,8%); outro, que inclui carro alugado, navio, barco e trem (12,3%); e avião (9,8%).
Fonte: Portal Correio