O jovem de 20 anos suspeito de matar a ex-namorada Ana Clara Teixeira, de 15 anos, a facadas, no domingo (9), confessou o crime e afirmou que foi motivado pelo fim do relacionamento, segundo o delegado Jorge Luiz, um dos investigadores que tomaram o depoimento do suspeito. O crime aconteceu em Zabelê, Cariri da Paraíba, e o suspeito foi preso pela Polícia Civil nesta terça-feira (11), em Sertânia, Pernambuco.
De acordo com Jorge Luiz, que cuida do caso junto com o delegado Gilson Duarte da Polícia Civil, Matheus Bezerra dos Santos conheceu a menina no início da adolescência, com 12 anos, e desde então se relacionaram. Segundo o delegado, Matheus achava que Ana Clara era o amor da vida dele.
Só que Ana Clara passou a não querer mais ter uma relação com Matheus. A polícia informou que a adolescente e o jovem conviveram por um ano com histórico de agressão, violência, ciúmes e sentimento de posse dentro do relacionamento.
Segundo o delegado, há dois meses o namoro acabou definitivamente, porém Matheus ainda se sentia na relação.
No domingo (9), dia do crime, Matheus enviou uma mensagem para Ana Clara querendo vê-la. Neste momento, Matheus já estava com o punhal e matou a jovem com 30 golpes de faca após ela reforçar o fim do namoro, conforme apontam as investigações.
Ainda de acordo com o delegado Jorge Luiz, familiares informaram à polícia que Matheus sempre se colocava como vítima na relação, e que dizia que se mataria caso Ana Clara o abandonasse. No depoimento prestado na tarde desta terça-feira (11), Matheus também informou onde estava o celular da vítima, que também será investigado pela polícia.
Matheus foi autuado por feminicídio, porém ainda não há informações sobre o local onde que ficará preso. Segundo o delegado, o local ainda não foi definido por ser um caso que gerou muita comoção.
Feminicídio é o assassinato contra uma mulher cometido devido ao fato de ela ser mulher ou em decorrência da violência doméstica. Foi inserido no Código Penal como uma qualificação do crime de homicídio em 2015 e é considerado crime hediondo.
Fonte: G1