Depois de fechar o jornal impresso e demitir mais de 180 pessoas entre jornalistas, fotógrafos, diagramadores, gráficos, funcionários de setores administrativos e até mesmo colaboradores responsáveis pelos serviços de conservação e limpeza e de portaria, o Sistema Correio de Comunicação dispensou ao menos mais 7 profissionais que trabalhavam em produção, reportagem e assistência.

Com o agravamento da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus, os cortes atingiram a rádio e a emissora de televisão do grupo.

Com passagem em dois momentos pela TV Correio, um dos profissionais dispensados é o apresentador João Costa.  Ele atuou na rádio Correio FM num primeiro momento, entre os anos 1986 e 2000, e depois de 2017 a 2020. Aos 66 anos, por integrar o grupo de risco do novo coronavírus, o profissional já não estava participando do programa diariamente.

Depois de 6 anos de casa, o repórter Hiran Barbosa, ‘o ligeirinho de Campina Grande’, também foi dispensado. “Um novo tempo, apesar dos castigos, como diria a música, mas com o coração cheio de alegria pelo que está por vir. O mesmo Hiran, a mesma forma de levar a notícia às pessoas, haverá de estar presente em outro espaço”, escreveu ele nas redes sociais.

Além dos repórteres, também foram dispensados os jornalistas Júlio César, Kátia Dumont e Anne Macedo, que trabalhavam na produção. A jornalista Vitória Vieira e o motorista Flávio, da externa, também foram dispensados. Segundo apurou a reportagem do Polêmica Paraíba, o motivo das demissões é a redução de custos ocasionada pela pandemia do novo coronavírus.

No início do mês, o presidente do Sindicato dos Jornalistas da Paraíba, Land Seixas, criticou as demissões no Sistema Correio e informou que aguardava uma reunião com o grupo para discutir o tema.

Fonte: Polemica Paraiba