O Campinense correu, se esforçou, dentro de suas limitações técnicas, e até jogou melhor do que o badalado Atlético Mineiro. Mas sem tanta qualidade no setor ofensivo, a Raposa não passou de um 0 a 0 com o Galo das alterosas na noite desta quarta-feira (12) e deu adeus à Copa do Brasil.
Por conta do regulamento do torneio, que oferece a vantagem do empate para os visitantes (com melhor ranking), o Alvinegro de Belo Horizonte avançou de fase e agora espera o vencedor de Afogados-PE x Atlético do Acre.
Ao Rubro-Negro do Alto da Bela Vista, que embolsou R$ 540 mil pela participação na competição, resta a sequência do Campeonato Paraibano e a Série D do Brasileiro na temporada.
No próximo domingo, inclusive, o Campinense tem nada mais, nada menos, do que o Treze pela frente, no primeiro Clássico dos Maiorais de 2020.
O jogo
A Raposa jogou de igual para igual contra o Galo Mineiro. Precisando vencer para não ser eliminado, o time da casa criou várias chances de abrir o placar, mas deixou se levar pela ansiedade.
Se o Campinense falhava nas finalizações, nem isso o Galo conseguiu construir no jogo. Poucas chances de ataque para o Alvinegro de BH e muitos erros de posicionamento, principalmente para suportar os contragolpes raposeiros.
Um dos destaques da partida foi o veterano Fábio Júnior. Depois de oito temporadas sem atuar profissionalmente, o atacante de 38 anos, que reestreou no domingo passado, atuou todo o jogo desta quarta e foi o principal finalizador da Raposa.

No segundo tempo o panorama se manteve: Campinense no ataque, lutando e criando situações de gol, mas esbarrando nas limitações técnicas.
Depois dos 30 minutos o time rubro-negro diminuiu a intensidade, mesmo assim não deixou de atacar. O Galo de Minas se limitou a contragolpes e pouca efetividade ofensiva.

Fonte: paraibaonline