NAMORO PAGO? Na Paraíba mais de 4 mil pessoas estão interessadas em um relacionamento ‘sugar’ – ENTENDA COMO FUNCIONA - Portal Arara

Últimas

terça-feira, setembro 17, 2019

NAMORO PAGO? Na Paraíba mais de 4 mil pessoas estão interessadas em um relacionamento ‘sugar’ – ENTENDA COMO FUNCIONA

Universo Sugar é um site de relacionamento para pessoas que queiram patrocinar o estilo de vida de seus parceiros. O envolvimento é claro e direto, pois se baseia no investimento econômico de homens ou mulheres em troca de uma relação afetiva. O objetivo da união é oferecer ganhos para as partes envolvidas. Atualmente, mais de 800 mil perfis estão ativos em todo o Brasil, além de membros do exterior. A Paraíba conta com 4.719 usuários nessa plataforma.

O sugar dating ou ‘relacionamento sugar (‘doce’ em tradução literal)’ foi criado pelos norte-americanos há mais de uma década, mas nos últimos anos criou-se um mercado em torno de pessoas que buscam um relacionamento benéfico para ambos, onde dinheiro não é um tabu.
Diversos sites de relacionamentos especializados no segmento surgiram, prometendo efetividade e benefícios para ambas as partes. No Brasil, o Universo Sugar promove a união exclusivamente entre os ‘sugar daddies’ e as ‘sugar babies’, que são expressões em inglês para ‘papais doces’ e ‘garotas doces’.
‘Sugar daddy’ é definido como um homem maduro, rico e bem-sucedido, normalmente entre 35 e 60 anos de idade. Relacionam-se com mulheres jovens e atraentes, e patrocinam um estilo de vida de luxo para elas. Já as ‘sugar babies’ são mulheres jovens que buscam viver as experiências da conquista e do romance, fazem questão de presentes, viagens e uma vida confortável sem preocupações. Elas buscam sucesso pessoal e profissional e não aceitam menos do que merecem.
universo sugar - NAMORO PAGO? Na Paraíba mais de 4 mil pessoas estão interessadas em um relacionamento 'sugar' - ENTENDA COMO FUNCIONA
Um dos perfis é o de *Dely. Paraibana, atualmente trabalhando e morando no Ceará, a sugar baby contou ao Portal Correio que conheceu o estilo de vida em outro site, e que acabou se relacionando com um norte-americano.
“Faz um bom tempo já que estou no site. Eu entrei também por curiosidade. Eu usava outro e um cara perguntou se eu queria ser a sugar baby dele e eu fiquei sem saber o que era. Depois de pesquisar, gostei. Encontrei um norte-americano que foi super legal comigo e foi uma boa experiência. Eu gosto muito do site”, declarou.
Dely diz que no Universo Sugar já conversou com alguns homens e que, apesar de não chegar a conhecê-los, pretende permanecer online para encontrar um sugar daddy.

Fundado em 2016 no Brasil

A diretora de comunicação do site, Anne Viana, explica que a rede de relacionamento existe desde 2016 e foi fundada por quatro empresários de São Paulo. A ideia inicial era proporcionar uma relação de envolvimento e troca, mas o site expandiu e hoje outros interesses podem ser vistos na plataforma.
“Já é natural um relacionamento de uma menina mais nova com alguém mais velho, só não está exposto o interesse financeiro. Mas o que vejo também, além disso, é que tem mulheres mais velhas, de 30 a 35 anos, que querem encontrar alguém do mesmo nível social, cultural e com características de homem bem-sucedido. É claro que todas sabem da proposta do site, mas nem todas estão ali por um preço e vice-versa. Tem homens também que passaram anos casados e não querem passar por todo aquele protocolo da conquista”, explicou Anne.
Para o futuro, a diretora de comunicação disse que muitas novidades vão surgir e que a equipe trabalha para que a plataforma se torne inclusiva. “Me refiro ao público LGBT. Mas por uma questão de estratégia, não posso revelar muito sobre a aplicação do projeto. Mas garanto que vai ser um presentão para o público LGBT”, finalizou.

Auxílio para educação

Uma pesquisa realizada pelo site de relacionamento mostrou que mais de 155 mil sugar babies recebem ou já receberam auxílio financeiro para educação. Esse número representa 23% dos cadastros ativos. De acordo com o site, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul concentram a maior parte de pessoas beneficiadas.
Fonte: Portal Correio

Páginas