Foi preso na manhã desta terça-feira (12) o padrasto da adolescente Júlia, de 12 anos, que sumiu na última quinta-feira (7), em João Pessoa. De acordo com o delegado Rodolfo Santa Cruz, Francisco Lopes, que é namorado da mãe de Júlia, é suspeito de homicídio e confessou que matou a menina. A Polícia Civil encontrou um corpo na região da Praia do Sol, no bairro de Gramame, no mesmo local onde o suspeito indicou e próximo a casa da família. A perícia está investigando se seria o da menina.

Segundo Rodolfo, titular da delegacia de homicídios da capital, o padrasto foi ouvido pelo delegado Hector Azevedo, que disse que após a confissão, Francisco indicou onde estaria o corpo da menina. O g1 não conseguiu contato com a defesa de Francisco.

Francisco Lopes, padrasto de Julia, deu entrevista à TV Cabo Branco na segunda-feira (11) sobre o desaparecimento da menina; nesta terça-feira (12), ele foi preso pela morte — Foto: TV Cabo Branco/Reprodução

Francisco Lopes, padrasto de Julia, deu entrevista à TV Cabo Branco na segunda-feira (11) sobre o desaparecimento da menina; nesta terça-feira (12), ele foi preso pela morte — Foto: TV Cabo Branco/Reprodução

“O padrasto não é novidade para ninguém na Paraíba, todo mundo já desconfiava dele, várias pessoas com quem conversei colocavam ele na linha de principal suspeito, de fato, mas a polícia não tinha elementos concretos que pudessem pedir a prisão. Hoje ele foi novamente chamado para ser reinquirido e […] ele confessou o crime e se dispôs a apontar onde o corpo foi deixado”, disse Rodolfo.

Na terça-feira (11), o padrasto deu uma entrevista à TV Cabo Branco e tinha indicado a Praia do Sol como um lugar provável onde a menina tinha sido vista pela última vez. O próprio padrasto, segundo a Polícia Civil, contou que foi a última pessoa a ter visto Júlia, na quinta-feira pela manhã, antes do desaparecimento.

“Uma mulher que trabalha na Praia do Sol, eu conheço ela, mas não sei o nome, afirmou que viu Júlia e a gente está investindo nisso. Ela realmente conhece Júlia, e ela falou para mim, pessoalmente, que viu Júlia e que ela estava com um olhar de medo. Só que ela não sabia que Júlia tinha sumido, que os familiares estavam atrás dela, por isso não segurou a menina”, disse Francisco.

Júlia desapareceu em João Pessoa após receber mensagens de pessoas desconhecidas pela internet — Foto: TV Cabo Branco/Reprodução

Júlia desapareceu em João Pessoa após receber mensagens de pessoas desconhecidas pela internet — Foto: TV Cabo Branco/Reprodução

Na terça-feira, Francisco e Josélia foram ouvidos pela Polícia Civil. Que também ouviu outros parentes da menina, incluindo o pai, uma tia e a madrasta, que moram no Paraná.

“A mãe descreveu o perfil comportamental da filha, depois falou sobre os relacionamentos que ela, a mãe, teve nos últimos 12 meses, com outro namorado e agora com esse atual companheiro. Ela passou as redes sociais que a filha utilizava e também informou que a relação entre a adolescente e o padrasto era uma relação salutar, mas estamos investigando e fazendo todo o nosso trabalho.”, disse o delegado Rodolfo Santa Cruz, na terça.

Segundo o delegado, o padrasto entrava em contradição em todas as vezes em que foi ouvido. “Foram realizadas perícias, já existiam alguns elementos e, nas oitivas, ele apresentava diversas contradições. Essas contradições foram apontadas para ele, que reconheceu e fez a confissão.”

Ainda segundo Rodolfo Santa Cruz, Francisco Lopes vai ser autuado em flagrante. “Já foi solicitada a perícia no local do crime, o corpo também vai ser periciado. A gente precisa verificar se tem alguma testemunha pendente de ser ouvida e, na sequência, relatar e encaminhar ao Ministério Público para que, caso entenda necessário outra diligência, ser realizada e então ser apresentada a denúncia ao poder judiciário”, completou.

Corpo foi encontrado em cacimba na Praia do Sol, no local onde suspeito indicou — Foto: Sílvia Torres/TV Cabo Branco

Corpo foi encontrado em cacimba na Praia do Sol, no local onde suspeito indicou — Foto: Sílvia Torres/TV Cabo Branco

Fonte: G1