Por que não acreditar que o Vasco pode contrariar a matemática e se salvar do rebaixamento? A vitória em cima do Atlético-PR, por 2 a 0, neste domingo, no Maracanã, já é a segunda consecutiva da equipe no Campeonato Brasileiro. Dá margem para vislumbrar um futuro mais animador. É difícil, mas não impossível. A torcida, que deixou Maracanã gritando “eu acredito” vê a distância para sair da zona de rebaixamento cair para 8 pontos.
Apesar do frio incomum que pairou sobre o Rio de Janeiro na tarde deste domingo, o jogo começou quente no Maracanã. Logo aos quatro minutos, depois de uma bela troca passes, o Cruz-Maltino abriu o placar com o lateral-esquerdo Julio Cesar. Aliás, algo que não acontecia há tempos com a equipe: a pressão inicial nas partidas em casa resultar em gol.

A vantagem no marcador, que também não é algo muito comum para o Vasco neste Brasileirão, deu uma tranquilidade maior ao time de Jorginho. Bem armado em campo, manteve a calma para administrar o resultado. Trocou passes e criou boas chances, mas que não resultaram em gol. O Atlético-PR também chegou, porém com menos intensidade. Nas vezes que assustou, Martin Silva salvou o Cruz-Maltino.
Depois de um bom primeiro tempo, a etapa final também começou animada. Aos 2 minutos, o árbitro André Luiz de Freitas Castro deu pênalti após a bola bater na mão de Kadu, zagueiro do Furacão. Na cobrança, Nenê converteu com categoria. A vantagem de dois gols no placar, pela primeira vez no Brasileirão, fez com que o Vasco nem sentisse falta dos atacantes Jorge Henrique e Leandrão, que foram substituídos com dores na coxa esquerda.
O gol deixou a partida mais aberta. Em desvantagem, o Furacão partiu com tudo para o ataque, mas não obteve sucesso. O Cruz-Maltino se expôs mais do que deveria em alguns contra-ataques, embora não tenha sido punido por isso. Foi assim até o apito final. A situação do Vasco segue complicada, mas as duas vitórias seguidas permitem acreditar.
Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data-Hora: 13/9/2015 – 16h (de Brasília)
Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (RJ)
Auxiliares: Alessandro A. Rocha de Matos (BA) e Marcos Welb Rocha de Amorim (BA)
Renda e público: R$ 255.180,00 / 9.220 pagantes 
Cartões amarelos: Ewandro, Nikão (CAP); Martin Silva e Riascos (VAS)
 Gols: Júlio César (4’/1ºT); Nenê (2’/1ºT)
VASCO: Martin Silva; Madson, Luan, Rodrigo e Julio Cesar; Serginho (Rafael Vaz – 33’/2ºT) e Bruno Gallo; Julio dos Santos, Nenê e Jorge Henrique (Rafael Silva – 16’/1ºT); Leandrão (Riascos – Intervalo) – Técnico: Jorginho
ATLÉTICO-PR: Weverton; Eduardo (Ytalo – 28’/2ºT), Vilches, Kadu e Sidcley; Otávio e Jadson; Marcos Guilherme, Nikão e Ewandro (Daniel Hernández – 39’/1ºT); Walter – Técnico: Milton Mendes
Fonte : Lance Net